Lucrar com a logística reversa de eletroeletrônicos

Lucrar com a logística reversa de eletroeletrônicos inutilizados não é apenas uma possibilidade apenas para grandes empresas, mas hoje já é acessível também para as pequenas e médias.

Por muito tempo os resíduos representaram um estorvo para as empresas, um problema com o qual elas deveriam lidar de alguma forma.

Mas as coisas mudaram, já há uma infinidade de resíduos que permitem até o aumento das receitas. Um caso especial é o das empresas que estão conseguindo lucrar com a logística reversa de eletroeletrônicos.

Neste artigo, trataremos deste advento que tem se tornado mais viável a cada ano, a logística reversa de eletroeletrônicos. Confira os tópicos a seguir.

O que é a logística reversa?

Lucrar com a logística reversa de eletroeletrônicos

A logística reversa é o processo mais adequado para se adotar quando um produto chega ao fim de sua vida útil.

Ela consiste basicamente no retorno do produto inteiro ou de suas partes ao ciclo produtivo, seja integrando novos materiais ou sendo insumo para a produção de outros.

Alguns produtos já possuem uma logística reversa bem popular, como é o caso das pilhas e baterias. Sempre vemos containers para a coleta de pilhas e baterias em lojas e supermercados.

Desta forma, assim que eles se enchem, o fabricante recolhe o material. Após a coleta ele é enviado aos centros de desmontagem e reintegração ao ciclo produtivo.

No caso dos computadores e periféricos, o retorno dos materiais ao ciclo produtivo também já é bastante popular. Inclusive, já há uma boa quantidade de empresas que estão conseguindo lucrar com a logística reversa de eletroeletrônicos.

Há exemplos famosos de centros de desmontagem e reaproveitamento de computadores, TVs, telefones, etc.

Como lucrar com a logística reversa?

Lucrar com a logística reversa de eletroeletrônicos

É fácil entender como uma empresa tratadora de resíduos lucra com a logística reversa de eletroeletrônicos.

Ela recebe ou compra os materiais, separa o que é reaproveitável e vende cada parte para as indústrias interessadas.

Contudo, não é simplório o entendimento de como as empresas geradoras podem lucrar com este tipo de operação.

No caso, é necessário que a empresa tenha um bom volume de material a ser destinado regularmente. Ela também deve ter um programa de logística reversa instalado em sua operação.

Caso haja apenas 1 computador, ventilador ou outro aparelho qualquer, é melhor aguardar o acúmulo de mais material. Desta forma, com mais unidades, a empresa poderá negociar uma venda em lote.

As empresas que desejem lucrar com a logística reversa deverão estabelecer processos internos que impossibilitem o descarte de materiais que podem ser reciclados.

Também devem ser realizadas parcerias que garantam a compra dos materiais disponibilizados pela organização.

Como funciona o mercado de resíduos

Lucrar com a logística reversa de eletroeletrônicos

O mercado de resíduos é movimentado pelos tratadores (empresas que recolhem, separam, tratam e direcionam os resíduos das organizações). Estes tratadores podem operar em três categorias de coleta de resíduos:

·         Tratadores que cobram para coletar os resíduos;

·         Tratadores que não cobram para coletar os resíduos;

·         Tratadores que pagam para coletar os resíduos.

Para uma empresa lucrar com algum resíduo é interessante que ela consiga uma parceria com tratadores do 3º tipo. Ou seja, os que pagam pelo material coletado. Contudo, tais tratadores costumam recolher apenas resíduos com alto valor agregado.

 Isso ocorre porque eles ainda terão que arcar com os custos de tratamento e disponibilização para o próximo consumidor.

O bom é que os resíduos eletroeletrônicos se enquadram nesta categoria. Muitas peças destes materiais podem ser reaproveitadas sem nenhum tipo de tratamento. Em computadores por exemplo, aproveitam-se os HD’s, Memórias, Coolers e uma série de outras peças, sem que haja um trabalho intenso de recondicionamento.

Ferramentas para venda dos resíduos eletrônicos

Lucrar com a logística reversa de eletroeletrônicos

Para que empresas geradoras consigam lucrar com a logística reversa de resíduos eletroeletrônicos é essencial que se utilize ferramentas adequadas para tal finalidade.

Um destes instrumentos é o VG Resíduos, software que registra e gerencia todo o fluxo de resíduos de uma empresa. O sistema auxilia no controle, economia de recursos e atendimento à legislação aplicável.

Outra ferramenta essencial para quem quer lucrar com a logística reversa de resíduos eletroeletrônicos é o Mercado de Resíduos.

O sistema que trabalha em conjunto ou de forma independente do VG Resíduos faz a ligação entre geradores e tratadores. Os geradores criam as ofertas e os tratadores dão seus lances sobre o material disponibilizado.

Com o sistema de leilão, os geradores sempre receberão a melhor oferta possível, combinando também com as condições mais adequadas de frete.

A grande vantagem é que além de conseguir lucrar com os materiais, as empresas recebem o certificado de destinação regular. Este certificado servirá tanto para fins legais quanto comerciais.

Lucre pela logística reversa

Outra oportunidade que não pode deixar de ser citada é a de lucro com a imagem produzida pela logística reversa.

Hoje, consumidores em geral, pessoas físicas ou jurídicas, tendem a dar preferência a organizações ambientalmente responsáveis.

Neste sentido, utilizar os certificados de destinação para logística reversa pode ser uma oportunidade de a empresa demonstrar preocupação com a sustentabilidade.

Assim, eleva-se o valor percebido pelo cliente, o que pode refletir em um aumento da base de consumidores. Portanto é possível que empresas lucrem de forma indireta, utilizando a imagem a logística reversa.

Logística reversa na empresa

Um programa de logística reversa nada mais é que um conjunto de diretrizes que privilegiam a reciclagem em detrimento do descarte. São ações que a empresa pode adotar para evitar que materiais em condição de reutilização sejam descartados no lixo comum.

O programa deve conter uma ação específica que deve ser tomada diante da possibilidade de descarte de qualquer produto.

Desta forma, os funcionários responsáveis pela substituição dos materiais saberão o que fazer em cada situação. O programa de logística reversa é imprescindível para empresas que querem lucrar com este tipo de atividade.

Como vimos nos tópicos anteriores é perfeitamente possível que empresas consigam lucrar com a logística reversa de eletroeletrônicos.

Contudo, deve haver uma política interna (ainda que informal) que privilegie a reciclagem em detrimento do descarte.

Devem ser usadas também ferramentas que auxiliem no encaminhamento aos tratadores, já que o acúmulo de material usado pode provocar a necessidade do descarte junto ao lixo comum.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *